7 fatos que você precisa saber sobre as lentes de contato dental

Ortodontia em adultos: existe idade para cuidar do sorriso? | SEGS
dezembro 6, 2020
Cirurgiã-dentista , Caroline Ruiz, é a nova colunista do Portal da Cidade
dezembro 6, 2020

Dentista em Santos



Folhapress

Sinovac subornou autoridades chinesas para aprovar vacinas de 2002 a 2011, diz jornal

A empresa chinesa Sinovac, desenvolvedora da vacina Coronavac para a Covid-19 que será produzida no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, esteve envolvida em casos de suborno ao governo chinês. A informação foi revelada nesta sexta-feira (4) pelo jornal americano Washington Post. De acordo com documentos de tribunais da China, o presidente da Sinovac, Yin Weidong, admitiu à Justiça em 2016 ter pago US$ 83 mil (R$ 428 mil) em propina para um funcionário da agência reguladora chinesa, Yin Hongzhang, e sua esposa, entre 2002 e 2011, para acelerar a aprovação de vacinas no órgão governamental. Não há menção na reportagem a problemas ocorridos depois dessa data, como no processo de desenvolvimento da Coronavac. Hongzhang foi preso e condenado a dez anos de prisão em 2017, por cobrar suborno de vários membros da indústria de vacinas chinesa. Já Weidong permaneceu em liberdade e continua comandando a companhia, devido a um acordo com a Justiça chinesa. Segundo o jornal, em um mecanismo similar à delação premiada, o executivo cooperou com promotores e argumentou que o pedido de suborno partiu da autoridade governamental. Ele também não foi condenado pelo Departamento de Justiça dos EUA, que abriu investigação na época porque a empresa tem capital aberto na Bolsa americana. No período do pagamento do suborno, a Sinovac conseguiu o registro de vacinas como a da gripe H1N1 e a de hepatite, mas, segundo a reportagem do jornal americano, não houve nenhum escândalo relacionado à segurança ou à qualidade das vacinas aprovadas. Em resposta ao jornal, a Sinovac reconheceu o ocorrido e afirmou ter conduzido auditorias internas e implementado um programa de combate à corrupção nos últimos anos. Procurado, o Instituto Butantã afirmou que a parceria com a Sinovac “foi firmada neste ano para estudos clínicos e desenvolvimento da vacina contra a Covid-19”, e informou que a pesquisa clínica “tem auditoria independente e o registro do imunizante passará por avaliação técnica da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]”. VACINA DA PFIZER Outra empresa que está desenvolvendo vacina para o coronavírus, a americana Pfizer, também é investigada por pagar suborno, segundo reportagem do The Wall Street Journal no início de novembro. A farmacêutica já vendeu 520 milhões de unidades do imunizante contra Covid-19, que desenvolve em parceria com a empresa de biotecnologia alemã BioNTech, para a União Europeia, o Reino Unido, o Japão e vários países da América Latina. A companhia já teria negociado 85% da produção de 2020 e 2021, o que tem pressionado o Brasil a firmar um acordo de compra para não ficar para trás na corrida. Segundo o The Wall Street Journal, a Pfizer disse que recebeu uma consulta da unidade de suborno estrangeiro da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos sobre as operações da farmacêutica na China, em agosto. A farmacêutica foi ainda alvo de um inquérito do Departamento de Justiça dos EUA sobre seus negócios na Rússia, em junho. As investigações foram enviadas pelas unidades das agências que aplicam a Lei de Práticas de Corrupção no Exterior. Essa lei proíbe as empresas de pagar subornos a funcionários estrangeiros para obter uma vantagem comercial. A Pfizer não comentou o caso e disse ao jornal apenas que estava preparando material para responder às solicitações. A farmacêutica já foi acusada de prática semelhante pelas autoridades dos Estados Unidos em 2012. Na ocasião, a empresa concordou em pagar US$ 60,2 milhões (R$ 310 milhões) para encerrar as investigações da Comissão de Valores e do Departamento de Justiça sobre supostas violações da lei em vários países da Europa e da Ásia, incluindo China e Rússia.

Fonte: https://br.noticias.yahoo.com/7-fatos-que-voce-precisa-saber-sobre-as-lentes-de-contato-dental-202434484.html


Agende agora sua avaliação!

A Dentari Odonto Clínicas possui clinica odontologica em Santos e São Vicente e foi criada para elevar o seu conceito de qualidade e tecnologia em todas as áreas da odontologia, com destaque para implante dentário realizado em 28 dias, excelente para você que estava procurando por implante dentario em Santos ou São Vicente.

Assim como toda empresa que trilha vários caminhos para se tornar um bom negócio, temos uma boa história. Com fácil localização, conseguimos atender de maneira personalizada você que procura por dentista em Santos ou até mesmo por dentista em São Vicente. Nossa unidade de Santos, está localizada no Gonzaga e nossa clínica de São Vicente, no centro da cidade.

Antes de se tornar Dentari, a história se inicia a partir de um sonho. O sonho de mudar a vida das pessoas. O desejo de mudança, de realizações, nunca começa sozinho. Com o pensamento mútuo de conquistar o sucesso, energia, técnica, método, atendimento e tecnologia.

Nasceu então a Dentari, uma clínica odontológica de alta performance, com renomados dentistas, que alia a melhor tecnologia disponível no mercado mundial aos melhores profissionais multiespecialistas.

Com procedimentos clínicos dinâmicos, a Dentari otimiza o tempo do paciente, trazendo a solução desejada de maneira fácil e rápida. O paciente recebe o melhor atendimento com todo o conforto que a clínica oferece.

O principal resultado é a satisfação dos clientes ilustrada em sorriso.



Saiba mais:


Dentista em Santos | Dentista em São Vicente | Dentista Aparelho | Implante Dentário em Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *